3 de junho de 2014

Cor de Vinho Quando Foge

O vinho quase negro que consumia
Me levou à loucura , um êxtase febril.
E a leveza que vinha de mim em torrentes
Esvaiu-se no cotidiano vil.
Ainda olho teu semblante sereno
Na memória rígida do consciente
E somente despedaço o peito
Em lembranças singelas d'águardente.
Não nego que a calmaria matou
Nosso ímpeto de seguir adiante ao amanhã.
O vento não sopra mais em nossa vela
E estacionou minha poesia sã.
Mas saiba que a marca cor de vinho
Sempre estará cravada, bordada em meu ser.
E se um dia lembrares de mim
Torço pra que não seja só um capítulo do teu sofrer.


15 de novembro de 2012

Relincho de Felicidade

Reprodução? Só se for da perfeição do meu imaginário. Sem ti tudo é água morna sob os joelhos. Somente um ego morto refletido nos espelhos, A triste máscara do palhaço, fugidia. Somente a incrédula força de uma vida vazia... Sem ti somente as sombras me cumprimentam na rua, Somente os fantasmas alheios me acertam o olhar. Só há redentor sendo lavado por torrentes de loucura. Só há esgoto e petróleo boiando em meu mar. Contigo, porém, há sorriso...paixão de vermelho e cinza, E todas as paletas não são capazes de compor os tons Que brincam de mistura insana, molhada e em compasso caótico Que dançam e relincham nos mais variados sons.

12 de setembro de 2012

Sobre Eixos

Na Capital, não me perdi em traços, em linhas, em planos... Me perdi nas curvas assimétricas daquelas coxas, quadris, pernas. Não reclamei do Estado, da secura que racha a pele, mas da alma que rachou quando ela pensou em ir-se. E aí sim a secura se inverteu me fazendo suar o olho. Na capital...tão nada importa agora esse título corrompido. Patrimônio da humanidade é a força que cada calango (digo candango) tem pra sorrir na seca braba. É esperar a seca pra ver florescer um ipê branco. Eu sou surfista...do lado de cá e de lá...surfo a w3, a eptg, estrutural, eixão... Qualquer caminho cartesiano e não cartesiano que esse Cerrado me convide...é aí que mora minha paixão. (alerta de rima pobre). A ser continuado...

8 de junho de 2012

Teste.

Testando postar direto do aplicativo do Blogger para o Android. Restando em negrito e itálico, agora tudo juntão...hehe.


12 de março de 2012

...

Acalme-se meu bem, fique à vontade no meu peito.
Te escondo dos males se quiser, enquanto quiser.
Juro não te dar nada além do que você precisa e um pouco mais, só pra manter teu vício.
E juro prever-te bem em mim, oferecendo-lhe auspício.
...encoste...deite...durma...relaxe...deixo minha alma fincada, cravada na sua pra que não tenha medo de se perder.
E enquanto nos encontramos na calada eu calo tuas agonias com penas cinzas de fênix desbotada.
E te deixo no estado de amor bruto e desesperado...apaixonada.
E permaneço...

...ali...

...ao lado...


MPA

9 de março de 2012

Cor de Vinho Quando Fode

Impressionantemente meu cinza com teu vermelho misturam-se em vinho.
E é o que combina conosco...derramo na sua pele alcoólica de vento
E sugo do seu ventre a fruta que é meu sustento.
Deliciosa faísca de dedos no entrelaço dos pés à cama
Que por cima da maldade você goza de alegria e aroma...
E pede que eu coma...
E me intoxico com sua paixão bruta e crua, despida de vergonha
E você me quer mais...e me quer...e te quero...e nos temos...
...e mesmo tendo medo a minha mente no teu corpo sonha...

MPA

1 de março de 2012

Aroma

O aroma me invade mesmo antes da tua chegada.
Uma doce correnteza bailando no ar...
Anunciação da forma singela e de pura beleza
Que passa em segundos eternos a me atormentar.
E os teus olhos...ah, duas supernovas de possibilidades.
Negros e brilhantes, dualidade de sim e não.
E eu me afogo ao relance dos teus nos meus
Em breve momento de admiração.
E é só o que me basta pra mais um dia de chuva
Caindo serena enquanto escuto Jeneci...
Me vem a noite lembrar tua imagem
Mexendo com o imaginário que nunca conheci.
E assim vou levando...presente no sonho, ausente no dia...
Sublimo na escrita confusa o olhar a você.
Buscando encontrar a coragem da palavra
Acalmo o peito com a esperança do teu querer.

MPA.

"nova"... de "ontem"...